segunda-feira, 7 de maio de 2012

Maquina de poema


Você escritor
que mais parece um entulho de jornais
uma coisa retorcida, enferrujado
mal vista
sem utilidades
infectado
que não cabe mais pilhas
e nem o futuro elétrico

Sucata de sangue
de rodas empenadas
que não se vê no espelho
só em poças

Já teve pressa
alguns livros
muita estória pra zoar
um velho pai
um filho

hoje despreza
o amor
pelos fios


Lucien Freud






















 

Um comentário:

ed disse...

Milhões de projetos patéticos:

"lixo baseado em carbono"...