sábado, 29 de abril de 2017

Franzido

toda licença a
o a
morsa
caíra do espaço
cravando em nossa memória como um degrau
marco na espécie

o que vem antes
é ponta
e coça
entorta igual haste
esguicha e morre

Sr. Compilador,
sabe de outra verdade-pouca?
_ É a Grande Prensa
em alguma hora 
ela vai chegar
num aperto de mãos

agora, se ficares num entrave
experimente a Perplexidade
um indício,
tem gosto de banana verde

Paul Klee






domingo, 19 de março de 2017

"Lógica das aparências"

Tes.
uma bola de feno
rodopiando
carregada de chumbo
seguindo descarrilhada

... era a cabeça de Pancho relampejando
agora sem o seu sombreiro
e a força do Siete Leguas

Ant.....
um som pesado
manilhado
no terreiro um besouro rolava a cabeça de Maria Antonieta
prum molde
redonda e pomposa
serviria pra porta de um buraco

Sínt...
trituradas na moela
da intrusa gravidade
as duas ruínas cada qual
ensandecidas
giraram
na tentiva
de agarra-se ao topor
do advento equatorial

Kandinsky

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Miragens de Salomé





















Aquele que vai
vendendo as presas
segurando uma criança
e levando na sacola um chumaço de couve 
é João Batista

Caminhando {gente só curiosa}
...
hesita e para
em seu caminho um cipreste lascado e sua resina açucarada 
ali 
lutam abelhas e formigas contra o pegajoso
perdem patas antenas asas e fundem ao balanço do galho

diante desse acaso
Batista pensa na palavra "texugo", pela sonoridade
num bagaço de cana, por suas fibras
e num documentário _ é preciso fazer algo!

assim
dentro da cabeça flutuante de João
um cano cromado aponta
ainda limpo de pólvora
=
dispara
--- -- -  -   -     -         -           -    o
Atravessa seu olho esquerdo de dentro pra fora..............................
O atirador, antigo contrabandista de marfim 
foge, saindo pela abertura do ouvido.

Nota do autor:
Toda projeção de João batista de Traste Forte, da tua lamúria que encharca, dos musgos que brotam, de teu corpo firme de pedra e síncope, quebra-se na espinha de um peixe.

pic. J.B.


sábado, 17 de dezembro de 2016

Epiceno

minhas bananeiras
bateram em revoada
ao salar 
Atacama

parando o ali
o comendo a vi
onde esparzindo flechas 

viaja orvalho
o bago
de tudo


quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Ranço

procura-se hospedagem
caro jacu pesado
finda seu agosto
o céu revira suas almofadas
exalando forte cheiro de roupas de cama
aprofunda os sonhos

assustado
acorda com o próprio ronco
também ornamental
porque dormiu tanto de barriga pra cima?

coisas secas estalando
clareira
e o mamão despencado
Ave cratera teu berço!


Giuseppe Arcimboldo

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Sextante 1973

é a caça
exposta
amiga lança
extinto capim dourado
guizos na galeria

emboscada no canto da moldura
vindo
azul
fedendo a tanque de carpas
urso índigo

alastro
tomba o vento
sobe trópicos
o fogo corre
chupando o Alasca




quarta-feira, 20 de julho de 2016

3 Metros

quarenta anos
e quebra o registro
ligações ininterruptas
HELP
e a água na sua intensa disformidade
leva os cômodos e a sua cintura fina
----------------------------------------------------------- 150cm
por gentileza
sente-se e tome a força habitacional do joelho
a patela, suas munições os quilos
a balança a feira as verduras
-----------------------------------------136cm
um salto pro lado
sementeiras
cruzam atroz
as aves de amianto
devorando as fibras do metro quadrado

willem de kooning