terça-feira, 15 de agosto de 2017

Empreita

I

no dia 15/08/2170
uma série de paredes encalhou em Montserrat
_foi o maior naufrágio da vertical!
dizia Seu Pinto segurando algumas lixas nas margens
_senão a maior catástrofe da história marítima! parecia miragem, pintores de parede de todo o mundo vieram pra cá, morreram muitos tentando atravessar, os que conseguiram chegar até lá, lixaram até acabar com o papel da lixa, depois lixaram com as palmas das mãos, lixaram com o resto do antebraço e assim foi indo, até não sobrar nada deles...

Franz Kline

II

a cal virgem que neva
o mais gelo
o mais água
desliza pincel
desempena
os rolos escorrendo
os movimentos de pintura
braçadas e braçadas
e continua um ovo
o arquiteto avalia,
o proprietário rói
ressoam os tambores
e eis a medida
_ simples, vamos usar a cor branco-ejaculação para dar mais vida na casa!

Franz Kline
III

apenas quatro paredes é o necessário p/
fechar homens num salar
eles s   el es le s
sele
lese
agora microbactérias
agora evoluídos
adaptados
de boca fechadas
de olhos esbugalhados
de cu de ferro

Frans Kline



IV

inúmeros carrinhos de mão sobrepostos no horizonte
os árabes sob a luz da gema marretando uma ponte
recebendo tapetes de grama em troca
...
da piscina imunda de rubis ao norte
o médico-suspeito a confirmar se o seu nome é aço



sexta-feira, 11 de agosto de 2017

9 graus

creio numa parte da velhice
no seu despertar cedo
e rezo baixo pela posteridade
assim quero acordar
às 5
estar de pé
respirando
enquanto os moradores ainda entulhados
sonham

olha lá!
um Matusalém
com as suas lãs camuflantes
cores de pombos
cores de feira
cores da torre da igreja
trajando uma cidade invisível

tal corpo
uma metade meditando
outra passeando a 2, a sós
indo pra missa, pra padaria,
as voltas as voltas as voltas na praça
contornando a si próprio
uma translação estranha
nas proximidades asperas
do sossego

olha ele
comentando o cafézinho
um culto a alma persistente
a mão direita trêmula
onde o signo agora descansa
na sua frase de efeito:
poucos homens conhecem o "arrebol"
aquele andarilho rarefeito

Maurice Utrillo